Arquivo da categoria ‘Musical’

Mama Mia!

Publicado: 02/10/2010 em Musical

Um filme comovente com trilha sonora do grupo ABBA

Meryl Streep é fantástica mesmo cantando desafinada! Mas a interpretação visceral que ela faz ao cantar “The Winner Takes It All” no filme Mama Mia surpreende. O filme é uma delícia e com a trilha sonora toda ela baseada na obra do grupo ABBA é para os saudosistas e para quem, assim como eu, curte filmes musicais. Impossível ficar imóvel na poltrona enquanto se assiste a este “espetáculo” dirigido por Phyllida Lloyd. As músicas do ABBA são contagiantes e relembram os velhos e bons tempos dos bailes de sábados à noite.

A história é bem simples: Donna (Meryl Streep) é uma mãe solteira dona de um hotel na bela ilha grega de Kalokairi e sua filha Sophie está nos preparativos para o casamento. Para a festa Sophie convida três homens que tiveram um relacionamento com sua mãe no passado e que podem ser seu pai. A chegada destes homens arma a maior confusão na ilha e na festa. Ao som das canções do grupo ABBA as histórias vão surgindo e envolvendo o espectador. Paisagens belíssimas da Grécia são um convite para se assistir a este musical envolvente. Sem contar é claro o bônus de ter no elenco a sempre competente Julie Walters que está simplesmente hilária.

Poderia relembrar aqui vários momentos (e são muitos realmente) que merecem destaques pela coreografia, interpretação dos atores/cantores e as belas paisagens desta Grécia dos sonhos. Mas o momento marcante é, sem sombra de dúvida, a interpretação de Maryl Strepp ao cantar “The Winner Takes It All”

Anúncios

Eugene Curran Kelly foi um coreógrafo, dançarino, cantor, diretor e produtor cinematográfico que ao lado de Frederick Austerlitz dominaram o cinema de Hollywood nos bons tempos dos musicais. Talvez você não esteja ligando os nomes às pessoas, mas com certeza você já ouviu falar de Gene Kelly e Fred Astaire e provavelmente já tenha visto um ou mais filmes com estes geniais dançarinos. Como sou grande fã de musicais sempre assistia na televisão a este verdadeiro espetáculo. Depois com a locadora adquiri vários filmes deste gênero. Infelizmente este gênero cinematográfico tem pouca saída e ficam acumulando pó na prateleira. Como tenho por hábito ver o lado positivo da coisa eu penso: Pelo menos os DVDs não estragam e ficam protegidos comigo. Aqui neste blog, com certeza, terá várias cenas antológicas de bons musicais.

Hoje gostaria de relembrar o filme Marujos do Amor que conta a história de Clarence Doolittle (Frank Sinatra) e Joseph Brady (Gene Kelly) dois jovens marujos que ganharam quatro dias de licença por bravura ao chegarem à Base de San Diego, a bordo do cruzador Knoxville. Marujos em terra firme é confusão na certa e é claro que rola também flertes e mais flertes. A cena antológica desta produção é o momento em que Gene Kelly dança com o camundongo Jerry.

Uma cena divertida e simplesmente maravilhosa:

Hair

Publicado: 11/09/2010 em Musical
Tags:, , ,

Os bons tempos "Paz e Amor"Escolher apenas uma cena antológica em Hair é algo humanamente impossível! Eu já revi este filme tantas vezes que seria capaz de enumerar, uma por uma, todas as cenas musicais apresentadas no filme. Em ordem que elas foram apresentadas! Bem… Talvez seja exagero meu, mas realmente todas as cenas musicais de Hair são fantásticas: Por suas belas coreografias, por sua musicalidade, figurinos multicoloridos e a importância que cada uma delas representou no contexto da história. Hair foi dirigido no cinema por Milos Formam com roteiro baseado em espetáculo homônimo da Broadway escrito por Gerome Ragni e James Rado e que fez muito sucesso no final da década de 60 e durante a década de 70. A versão cinematográfica foi escrita por Michael Weller.

Mas a cena que ficou famosa é o momento em que Claude (John Savache) e seus amigos hippies chegam de penetra na festa de aniversário de Sheila Franklin (Beverly D’Angelo) por quem Claude está apaixonado. Claro que a família da moça estranha tais “convidados” e pede que todos se retirem da festa. Berger (Treat William) líder do grupo hippie faz um discurso sobre a guerra do Vietnã em que jovens estão morrendo enquanto eles fazem tais festas indiferentes a tudo. Diz que Claude só quer estar um momento com sua amada e desfrutar estes momentos felizes enquanto aguarda ser mandado para a frente de batalha e defender os interesses de seu país. Mas ninguém quer saber de nada disso e mais uma vez os expulsam do lugar. Indignado Berger faz seu número musical em cima da mesa enquanto espantados convidados correm a tirar pratos, talheres, copos e travessas de cima da mesa. Em dado momento convida uma senhora da alta sociedade para dançar com ele (o que ela faz de muito bom grado) e chega a usar uma luminária como balanço em sua coreografia. Ao término desta estranha coreografia todos são presos e outras coreografias (agora na cadeia) são executadas.

Eis a cena inesquecível de Hair que acabou virando comercial de televisão de uma famosa marca de tênis: